Pelo aplicativo, é possível calcular o tempo em que não há mais efeito, no organismo, da substância alcóolica consumida pelo condutor.

A Lei Seca é uma das leis de trânsito mais aplicadas nas vias e rodovias brasileiras pelas autoridades. Para auxiliar os motoristas a saberem quando não podem dirigir, o Doutor Multas desenvolveu o aplicativo Motorista Consciente.

O aplicativo, neste mês, completa um ano de lançamento e já é utilizado por milhares de motoristas, em todos os estados brasileiros.

Por meio do aplicativo, é possibilitado aos condutores calcularem o tempo médio em que o álcool consumido já não faz mais efeito em seu organismo.

Para o cálculo, o condutor, após instalar o aplicativo, deve inserir informações relativas a idade, peso médio e sexo. Depois, deve informar a quantidade e o tipo de bebida ingerida e, por fim, o horário em que começou a beber.

A partir de tais informações, o aplicativo calcula a hora em que todo o álcool consumido já não estará mais presente na corrente sanguínea. O resultado gerado pelo aplicativo, no entanto, não é absoluto, como os evidenciados em exames técnicos.

A indicação do Motorista Consciente serve para que o condutor tenha uma média do período em que voltará a estar sóbrio.

O resultado indicado pelo aplicativo também não substitui nem invalida os resultados apresentados por testes do bafômetro ou exames clínicos. A observação de sinais de embriaguez no condutor, pela autoridade de trânsito, também não pode ser invalidada pelo resultado gerado no aplicativo.

A indicação do aplicativo vai além da percepção, pelo indivíduo, dos efeitos da bebida, pois a presença do álcool no organismo nem sempre gera efeitos que possam ser sentidos.

Os efeitos da bebida podem deixar de ser sentidos pelos condutores, principalmente, quando a ingestão de substância alcóolica é mínima. Contudo, conforme a legislação de trânsito, nenhuma quantidade de álcool no organismo é admitida.

Dessa forma, ao ser parado em uma blitz, o condutor deve apresentar um percentual de 0% de álcool ao realizar o teste, descontada a margem de erro do bafômetro, para que não seja considerado infrator.

A medida dos níveis alcóolicos, feita pelo teste do bafômetro, considera uma margem de erro de 0,04 ml/L de álcool no sangue. Qualquer quantidade superior a esta no resultado do etilômetro coloca o motorista em uma conduta de infração.

Ao condutor que é flagrado dirigindo sob o efeito de álcool, são aplicadas penalidades que incluem multa gravíssima submetida a fator multiplicador e suspensão da carteira de habilitação. O motorista penalizado terá de arcar com valor de R$2.934,70 em multa e ficar sem dirigir por um período de 12 meses.

Nos casos em que o percentual de álcool no organismo do condutor é igual ou supera 6 decigramas de álcool por litro de sangue ou 0,3 miligrama de álcool por litro de ar alveolar, o condutor é penalizado com detenção.

A detenção é aplicada, nesses casos, por haver o cometimento de um crime de trânsito, constituído por um nível de embriaguez que coloca grandemente em risco a segurança no trânsito.

A pena para o crime por dirigir embriagado é detenção de seis meses a três anos, além da multa e da suspensão, já aplicadas em situações de punição administrativa.

Com o cálculo realizado pelo Motorista Consciente, é possível ao condutor ter uma noção, antes de beber, dos efeitos em seu organismo da bebida que irá ingerir.

Se o tempo para o processamento do álcool no organismo for bem longo, é possível deduzir que, caso dirija logo após beber e seja pego pela fiscalização, o condutor poderá ser penalizado até com detenção, devido aos níveis elevados de álcool que apresentará.

A direção segura, no entanto, só é garantida sem qualquer ingestão de substância alcóolica antes de assumir o volante de qualquer veículo.